Prefeitura de Belo Horizonte anuncia grandes obras de mobilidade no Anel Rodoviário

103
Publicidade

O prefeito Fuad Noman divulgou um plano ambicioso de melhorias na infraestrutura viária da cidade.

Com investimentos provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 3), a terceira fase anunciada recentemente pelo governo federal, a Prefeitura de Belo Horizonte está empenhada em realizar um conjunto de obras em oito pontos cruciais do Anel Rodoviário.

O projeto abrange a construção e expansão de viadutos, alças viárias e passarelas.

O investimento total esperado é de aproximadamente R$ 1,5 bilhão, com o objetivo de aliviar o tráfego não apenas no Anel Rodoviário, mas também em outras vias importantes da cidade.

Embora a realização das obras seja um processo complexo e gradual, o prefeito destacou a relevância desse empreendimento para a mobilidade urbana, sublinhando que, embora haverá inconvenientes temporários para os usuários do Anel Rodoviário durante a execução, o impacto positivo a longo prazo valerá a pena.

As melhorias visam não apenas a fluidez do trânsito, mas também a segurança dos pedestres e motoristas que frequentam a rodovia.

Essas transformações são resultado de esforços e negociações do prefeito em Brasília, onde pleiteou e conquistou o apoio do governo federal para concretizar esse importante projeto.

O intuito é modernizar a infraestrutura do Anel Rodoviário, tornando-a mais adaptada às necessidades atuais e às expectativas para o futuro da cidade.

Vale ressaltar que o Anel Rodoviário tem sido palco de inúmeros acidentes fatais, com cerca de 730 acidentes e 60 mortes registrados apenas no ano de 2022.

Com essa iniciativa, o prefeito almeja melhorar significativamente a segurança e a eficiência do trânsito em uma das áreas mais críticas da cidade, deixando um legado importante para a mobilidade urbana e para a qualidade de vida dos cidadãos.

A lista de obras é a seguinte: 

1. Viaduto da BR-040 sobre o Anel Rodoviário (previsão de início em abril/24)
Novas alças viárias e implantação de novo viaduto. 

2. Viaduto sobre a Av. Amazonas (previsão de início das obras em setembro/24)
Alargamento do viaduto existente, implantação de dois novos viadutos, alças e passarela.

3. Viaduto sobre a Av. Presidente Antônio Carlos (previsão de início das obras em setembro/24)
Alargamento de viaduto existente, alças e passarela. 

4. Pontilhão ferroviário bairro Betânia (previsão de licitação de projeto executivo em janeiro/24)
Alargamento do viaduto existente, implantação de novo viaduto, alças e passarela.

5. Viaduto sobre a Av. Tereza Cristina (previsão de licitação de projeto executivo em janeiro/24)
Alargamento do viaduto existente, implantação de novo viaduto, alças e passarela.

6. Viaduto da Praça São Vicente (previsão de licitação de projeto executivo em janeiro/24)
Implantação de quatro novos viadutos e alças viárias.

7. Viaduto sobre a Av. Pedro II (previsão de licitação de projeto executivo em janeiro/24)
Implantação de dois novos viadutos e alças viárias. 

8. Viaduto sobre a Av. Cristiano Machado (previsão de licitação de projeto executivo em janeiro/24)
Alargamento de viaduto existente e implantação de novo viaduto. 

Histórico

O Anel Rodoviário Celso Mello Azevedo foi construído no início da década de 1960 com o objetivo de desafogar o tráfego de carga que crescia e passava pela região central de Belo Horizonte.

No entanto, teve seu uso modificado – principalmente por conta do crescimento populacional da Região Metropolitana – e se tornou um dos corredores de trânsito urbano mais movimentados da cidade. 

Com 26,2 quilômetros de extensão, o Anel Rodoviário começa na união das rodovias BR-262 e BR-381, na altura dos bairros Goiânia e Nazaré, na região Nordeste, e termina no encontro das rodovias BR-040 e BR-356, no bairro Olhos d’Água, na região Oeste. 

A rodovia recebe diariamente 130 mil veículos em toda sua extensão, que cruza algumas das principais vias de Belo Horizonte, como as avenidas Cristiano Machado, Antônio Carlos, Carlos Luz (Catalão), Pedro II, Via Expressa e Amazonas. 

Iluminação

Para suprimir as deficiências de iluminação no Anel Rodoviário, a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da concessionária BHIP, substituiu as antigas lâmpadas de vapor de sódio por modernas luminárias LED.

Foram trocadas 2.140 luminárias. Em toda a cidade, a BHIP trocou 180 mil lâmpadas, com um investimento total de R$ 400 milhões. 

Em todas as regiões próximas a cruzamentos de pedestres, inclusive naquelas com passarelas, a iluminação também foi reforçada.

De acordo com estatísticas da BHTrans e da Polícia Militar Rodoviária, entre 40% e 45% das ocorrências com óbitos envolvem pedestres atingidos por veículos.

Daí a importância da troca da iluminação, que ocorreu entre 2018 e 2020. 

Área de Escape

Mesmo sendo uma área de responsabilidade do governo federal, a Prefeitura de Belo Horizonte obteve a autorização e construiu uma Área de Escape no Anel Rodoviário, no trecho entre a BR-040 e o trevo do Betânia, a poucos metros do acesso ao Buritis.

As obras duraram nove meses e foi feito investimento de R$ 3,5 milhões com recursos do município.

Inaugurada há um ano, a Área de Escape do Anel Rodoviário evitou 22 potenciais acidentes em um dos trechos mais perigosos da rodovia – dos quais nove deles envolvendo veículos pesados, entre eles caminhões, carretas, ônibus e até um guindaste. 

A Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), BHTrans e a Secretaria de Obras já estudam a possibilidade de elaborar um projeto executivo para, posteriormente, licitar a construção de uma segunda Área de Escape. 

Mobilidade BH

Siga o Mobilidade BH no Twitter e fique informado sobre a mobilidade urbana de Belo Horizonte e Região Metropolitana.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui